ANFACER - Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres

Alameda Santos, 2300 - 10º andar
São Paulo, SP/ Brasil - 
CEP: 01418-200

T + 55 11 3192 0600

Gás Natural no Brasil: Desafios e Perspectivas

October 25, 2018

 

Luís Fernando Quilici

Diretor de Relações Institucionais e Governamentais

 

O setor cerâmico de revestimento é um dos grandes consumidores de gás natural no Brasil. Só no passado foram 1.036 bilhão de metros cúbicos consumidos pela indústria cerâmica, sendo que, metade desta demanda ou aproximadamente  560 milhões de metros cúbicos foram demandados pelo polo cerâmico de Santa Gertrudes.
 

Hoje o gás natural representa algo em torno de 25% do custo total de fabricação de um metro quadrado de cerâmica. São números que ilustram a importância deste insumo para o setor.  Diante disso, o grande desafio do setor em relação ao gás natural é atuar junto ao governo federal e governos estaduais no sentido de construir um novo marco regulatório para o mercado de GN, permitindo sua abertura e consequentemente a ampliação da sua oferta.

 

O Programa “Gás para Crescer”, coordenado pelo governo federal,  lançado em 2016 e concluído em 2018, fruto da discussão entre todos os agentes que atuam no mercado de gás natural no país traz uma proposta que caminha em direção a ampliação da concorrência, da abertura do mercado,  porém essa proposta ainda não conseguiu avançar no âmbito da Câmara dos Deputados.
 

Tendo as questões regulatórias resolvidas de forma efetiva, certamente teremos a abertura do mercado do gás natural no Brasil com a consequente desverticalização de seus principais agentes, condição fundamental para o aumento da competitividade do setor e dos segmentos que utilizam o gás natural como energético ou matéria prima.
 

O novo presidente, independente da sua matriz ideológica, terá pela frente os desafios de equilibrar as contas públicas, colocar em pauta as reformas políticas, da previdência e inclusive realizar profundas alterações na área da energia.
 

O Brasil precisa ter, para este setor, uma política de Estado e não apenas de governo. Energia é fator estratégico para o desenvolvimento econômico e social de uma nação. Espero que o novo governo compreenda essa visão e tome as iniciativas necessárias para o aprimoramento regulatório desta área, em especial do gás natural, fator preponderante para o aumento da competitividade da indústria cerâmica brasileira e outros segmentos intensivos no consumo do GN.

Tags:

Please reload