ANFACER - Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres

Alameda Santos, 2300 - 10º andar
São Paulo, SP/ Brasil - 
CEP: 01418-200

T + 55 11 3192 0600

IMO 2020

September 18, 2019

 

A Organização Marítima Internacional – IMO na sigla em inglês – é a agência da ONU (Organização das Nações Unidas) responsável pela proteção, segurança e pela prevenção da poluição marinha e atmosférica na navegação marítima.

 

As ações da IMO buscam alinhamento aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU. Tendo os objetivos 13 - Ação Climática e 14 - Vida Aquática em foco a Organização estabelece limites máximos para o teor de enxofre presente nos combustíveis utilizados na navegação marítima mundial.

 

Atualmente os combustíveis devem ter um teor de enxofre abaixo dos 3,5% massa por massa (m/m).

O enxofre pode ser prejudicial à saúde humana, pode causar problemas respiratórios e doenças pulmonares; em grandes quantidades na atmosfera pode causar chuvas ácidas, danificar plantações, florestas e a vida marinha, além de contribuir para a acidificação dos oceanos.

 

A IMO tem gradativamente reduzido os valores máximos de enxofre nos combustíveis destinados à navegação marítima. Até 2012 o limite era 4,5% m/m, a partir de 01 de janeiro de 2012 foi adotado o limite de 3,5% m/m e em 01 de janeiro de 2020 haverá novo corte substancial nesse limite que passará a ser de 0,5% m/m na maior parte dos espaços marítimos.

 

Nas águas determinadas como Áreas de Controle de Emissão (ECAs na sigla em inglês) o limite teto já é ainda menor, de 0,10%, desde janeiro de 2015, essas áreas são: Mar Báltico, Mar Nórdico, parcela da costa dos Estados Unidos e Canadá e o Mar Caribenho norte americano (ao redor de Porto Rico e as Ilhas Virgens Norte Americanas).

 

As grandes empresas de navegação estão anunciando que haverá aumento de preços dos combustíveis, visto que nem todas as refinarias estão preparadas para disponibilizar essa versão do combustível mais puro e esse aumento será repassado aos usuários do transporte marítimo.

 

A indústria cerâmica nacional recebe com muito bons olhos a restrição do poluente (enxofre) presente no combustível utilizado no transporte marítimo, que escoa 70% das exportações do setor, e entende que taxas adicionais ao frete para cumprimento dessa limitação são abusivas.

 

Tags:

Please reload