Começou a primeira etapa do programa de formação de novos assentadores de cerâmica

Com a primeira turma formada por 32 alunos o Programa de Formação de Novos Assentadores de Cerâmica foi oficialmente iniciado. O projeto que acontecerá de abril a dezembro de 2022 vai oferecer gratuitamente formação profissional e qualificação de assentadores cerâmicos para 80 alunos, prioritariamente mulheres, de duas comunidades da cidade da zona Leste de São Paulo.

O Programa de Formação de Novos Assentadores de Cerâmica é uma iniciativa da Anfacer (Associação Nacional dos Fabricantes de Cerâmica para Revestimentos, Louças Sanitárias e Congêneres), junto à ALICERCE Educação e o SENAI Orlando Laviero Ferraiuolo.

Ao todo serão formadas cinco turmas, sendo duas primeiras na comunidade Vila Nhocuné, com início em abril. Outras três turmas serão formadas a partir de agosto na comunidade Ferraz de Vasconcelos.

O curso com duração de quatro meses terá aulas ministradas presencialmente três vezes na semana. Além de qualificá-los nas matérias base (português e matemática), trilhas tradicionais do Alicerce, serão também desenvolvidos conteúdos básicos da função de assentador cerâmico, além das competências socioemocionais necessárias para sua inserção no mercado de trabalho.

Inclui-se, no projeto, uma parceria com o SENAI Orlando Laviero Ferraiuolo, que será responsável pela trilha técnica complementar de certificação do nível iniciante da formação da função, garantindo o diferencial competitivo para os candidatos participantes.

A parceria também envolverá as empresas associadas que terão acesso a um banco de profissionais qualificados para potencializar as relações das indústrias com o varejo, atendendo, assim, os objetivos de ESG dos parceiros.

“Aderir ao ESG não é mais uma opção. Trata-se de uma questão de sobrevivência para as indústrias. Mais de 50%dos brasileiros não têm nível de leitura básica e é preciso recuperar esse gap educacional”, enfatiza Paulo Batista, presidente do Alicerce, startup de impacto social, que nasceu em 2017 e hoje atende mais de 10 mil alunos, em 150operações educacionais em todo o país.

Já Vânia Caneschi do SENAI, destacou a importância de iniciativas como essa que dão oportunidade de inserção no mercado de trabalho. “A iniciativa vem para formar profissionais, em especial, mulheres em situação de vulnerabilidade. Atualmente cerca de 20 a30% das nossas turmas são formadas por mulheres, mas temos visto essa demanda aumentar”, finaliza.

Segundo Anderson Vieira, consultor de qualidade e sustentabilidade da Anfacer e coordenador do projeto dentro da associação, o objetivo é desenvolver a mão-de-obra qualificada no setor e gerar oportunidades de emprego. “A ideia é implementarmos esse projeto em São Paulo e, numa próxima etapa, incluir outros polos da indústria cerâmica, como o Sul e o Nordeste”.

Últimas notícias

Projeto Setorial
Apoio