Feiras de volta

Na Itália, primeiro país europeu a decretar lockdown e a enfrentar as consequências mais severas da pandemia, a retomada das feiras presenciais tem se revestido de uma simbologia especial. Aposta-se nelas como um dos instrumentos para alavancar o que está sendo chamado pelas autoridades econômicas italianas de “Il ricovery”.

No último 18 de julho, a abertura da Expo Riva Schuh & Gardabags, na província de Trento, contou com a presença do chanceler Luigi Di Maio que cortou a fita inaugurando a feira ladeado por outras autoridades políticas e lideranças empresariais. Em seu discurso, além de ressaltar a importância do setor de calçados e dmaquinários correlatos para a Itália, que ocupa o terceiro lugar no ranking internacional de exportadores, destacou também o papel do setor de feiras como alavanca para a dinâmica da internacionalização ao propor que as Embaixadas italianas no mundo sirvam também como “casas de negócios” à disposição de organizadores, empresas e instituições para alcançar novos mercados.

Grandes feiras de setembro na Itália

Neste momento em que há claro consenso, conceitual e/ou pragmático — Siamo tutti keynesiani, di nuovo —, de que os governos devem assumir papel de indutor para a retomada da economia — haja vista os vultosos recursos públicos aprovados para investimentos em infraestrutura, energia, saúde e educação, anunciados pelo governo Biden e pela União Europeia — e de que políticas públicas poderão corrigir sérias distorções, há setores produtivos que ganham espaço destacado.

Setembro é um mês em que algumas das mais importantes feiras acontecem na Itália, especialmente no norte do país, e neste ano voltarão ao formato presencial apostando na retomada econômica e cultural do país.

Salone Internazionale del Mobile

Como em 2018 e 2019, o Salão Internacional do Design tradicionalmente ocorre em abril. Em 2020, o Salão foi adiado e posteriormente cancelado em função da pandemia, mas a edição de 2021 já está confirmada para os dias 5 a 10 de setembro, voltando a ocupar seu lugar de destaque como principal vitrine internacional do design e do mobiliário, mesclando negócios e cultura. Na Semana do Design de Milão a rica capital da Lombardia, também conhecida como capital mundial da moda e do design, abriga uma multiplicidade de eventos que chega a contar mil realizações, exaltando valores como a emoção, qualidade, comunicação, jovens e engenho presentes no Manifesto do salão. Na edição de 2021, a palavra-chave será “beleza”, pois, como justificam seus organizadores: “O design é de fato, na experimentação das formas e dos materiais, uma procura constante da beleza.”

Cersaie

Os números da última edição, de 2019, pois a de 2020 foi cancelada, da Cersaie (Feira Internacional de Revestimentos Cerâmicos e Móveis de Banheiro) sustentam seu status de principal feira mundial da indústria cerâmica, ocorrendo anualmente na cidade de Bolonha, capital da Emília-Romanha.

Como informa o site da feira, em 2019 foram mais de 112 mil visitantes (34 mil europeus, 2,3 mil da América do Norte, 1,6 mil das Américas do Sul e Central, 1,5 mil africanos, 9,4 mil asiáticos, 2,3 mil do Oriente Médio e outros), 889 expositores (342 do exterior) e 1044 jornalistas (346 do exterior). Dos visitantes italianos 7911 foram arquitetos, 2130 designers de interiores e 25218 representantes comerciais.

Abrigando um poderoso cluster — estudado inclusive pelo especialista em competitividade, o professor de Harvard, Michael Porter — instalado em Sassuolo, a Itália ostenta o lugar de vanguarda do setor cerâmico mundial e ao longo de cinco dias sua feira antecipa tendências na área das superfícies, mobiliário de banheiro, design e planeamento.

A Cofindustria Cerâmica é um dos apoiadores da feira e vê nela um evento articulador de toda a cadeia produtiva e setores correlatos como o importante setor de máquinas.

MarmoMac

A Marmomac, tradicional feira do setor de pedras naturais (com destaque para o mármore), também ocorre anualmente em setembro, em Verona, região do Vêneto, promovendo a interação entre expositores, compradores e uma série de profissionais da arquitetura, arte e design. Considerada um dos principais eventos mundiais da indústria lítica representa toda sua cadeia de suprimentos, desde matérias-primas a máquinas e tecnologias de processamento e design. Em sua última edição (2019), a feira reuniu 1636 expositores de 55 países, atraindo cerca de 68 mil visitantes de 155 países e gerando mais de 18 bilhões de dólares em negócios.

Tradição italiana no uso do mármore

São séculos de história que ligam a Itália ao mármore, e artistas como Michelangelo e Donatello contribuíram com isso, eternizando obras-primas em mármore de notável beleza. Como não se encartar com a escultura de Antonio Canova em mármore em que Psiquê é reanimada com um beijo de Eros?

Ao longo dos séculos os italianos se afirmaram como mestres na extração e beneficiamento do mármore, pedra que hoje é utilizada na confecção de obras de arte, na arquitetura e design.

Alguns tipos de mármore, como o de Carrara, são extraídos apenas em áreas precisas do território italiano, o que aumenta seu valor. Também o mármore de Calacatta, Versilia, Garfagnana é mundialmente apreciado. E como não mencionar o mármore Travertino originalmente extraído da Toscana e do Lácio que esteve presente na construção do Coliseu? E o mármore vermelho da cidade eternizada no drama de Shakespeare, Verona?

Essa tradição tem mesmo profundas raízes!

MiArt e Semana de Arte de Milão

Também em setembro, entre os dias 17 e 19, e com as palavras de ordem confiança e esperança, ocorrerá a MiArt, prestigioso evento do mercado de arte integrando a Semana de Arte de Milão tendo como missão adicional neste ano a de revitalizar o setor que sofreu duramente os efeitos da pandemia.

Eventos como esse cumprem importante papel no funcionamento do anel sistêmico dos galeristas, essencial para o suporte e incentivo às trajetórias de artistas da arte contemporânea. Essa edição contará com o envolvimento de 145 galerias de 20 países.

Retomada das feiras e eventos presenciais no Brasil

Endereço de muitas das mais importantes feiras que ocorrem no Brasil, São Paulo deverá abrigar no segundo semestre de 2021 mais de 30 eventos presenciais e híbridos, sendo 10 deles considerados pilotos, em ambientes controlados (controle de público e testagem).

Outros estados, como Rio de Janeiro e Minas Gerais, também reorganizam seus calendários de feiras. O governo mineiro criou um selo, chamado Evento Seguro visando garantir que estão de acordo com todos os protocolos de segurança sanitária.

No Rio de Janeiro, cidade escolhida para receber o 27º Congresso Mundial de Arquitetos em 2020 e que, em função da pandemia, transferiu-o para 2021 em formato virtual, o governo liberou para o segundo semestre eventos com capacidade de lotação máxima de 40% em locais fechados e 60% em locais abertos.

Mas, de fato, a retomada plena das feiras setoriais presenciais no Brasil deverá ocorrer em 2022.

Correspondentes às feiras italianas dos setores abordados, merecem atenção as abaixo destacadas, que recebem visitantes de todo o mundo, inclusive forte presença de expositores e negociadores italianos.

Vitoria Stone Fair

Também chamada de Marmomac Latin America e contando com a expertise realizadora da Milanez & Milaneze S/A, empresa do grupo internacional VeronaFiere, a feira, que ocorre todo ano na capital do estado do Espírito Santo no mês de fevereiro, reuniu em sua última edição mais de 13 mil visitantes de 52 países e 240 marcas expositoras.

Superando a marca de 1 bilhão de dólares de exportações em 2019, o setor de rochas ornamentais no Brasil vem elevando seus desafios para atingir patamares de excelência em todos os elos de sua cadeia produtiva.

Certas da qualidade de seus produtos e processos, entidades de apoio ao setor vêm concentrando esforços no marketing — área em que se inspiram na experiência italiana — para uma contínua promoção e projeção internacional de suas pedras.

Um dos objetivos da feira tem sido aproximar cada vez mais os especificadores com as indústrias do setor. Com estandes reformulados, as rochas são expostas como verdadeiras obras de arte. Na última edição com compradores de mais de 50 países não faltaram elogios para a variedade e beleza das rochas brasileiras. Sem roubar o brilho dos já famosos granitos exóticos os quartzitos também estiveram no centro das atenções.

Mesmo com os impactos econômicos negativos da pandemia em todo o mundo, o primeiro semestre de 2021 acumulou exportações de 572 milhões de dólares sendo Estados Unidos, China e Itália os principais mercados. Quanto às importações brasileiras de rochas ornamentais, a Itália ocupa o primeiro lugar, seguida de Espanha e Indonésia.

É importante lembrar que sendo a Itália um importante hub de distribuição de placas para todo o continente europeu, o incremento dos fluxos comerciais entre Brasil e Itália atende a interesses mútuos e tem grande potencial de expansão.

Para 2022, a Vitoria Stone Fair está marcada para os dias 15 a 18 de fevereiro.

Expo Revestir

Como o maior evento de soluções e acabamentos da América Latina, com destaque ao segmento de pisos e revestimentos, a Expo Revestir todo ano reúne os maiores fabricantes e fornecedores de revestimentos, louças sanitárias e metais para cozinhas e banheiros.

Em sua edição de 2019 recebeu mais de 62 mil visitantes oriundos de 61 países e nos seus quatro dias registrou volume de negócios de 1,15 bilhão de reais.

Feiras como essa servem de termômetro do setor da construção civil, responsável por milhões de empregos diretos e indiretos interligando diversas e extensas cadeias produtivas.

Como oportunidade de compartilhamento de conhecimentos e reciclagem profissional, o Fórum Internacional de palestras e debates — nos moldes do que também ocorre na Cersaie —, acontece de maneira paralela à feira, reunindo milhares de profissionais.

O setor cerâmico brasileiro tem boa parte de suas atividades produtivas concentrada em dois clusters, o de Criciúma (SC) e o de Santa Gertrudes (SP), sendo o terceiro maior produtor mundial, segundo maior consumidor mundial e sétimo maior exportador mundial. O setor gera 28 mil empregos diretos e cerca de 200 mil indiretos.

Pós-pandemia e mudanças necessárias

Se neste ano as feiras setoriais presenciais voltaram a integrar as estratégias empresariais para a retomada econômica, também as cúpulas de alto nível de líderes políticos mundiais voltaram e têm emitido bons sinais de convergências e consensos fundamentais para o resgate da crença nas virtudes do multilateralismo.

Tanto na Cimeira Social do Porto, que reuniu em maio os 27 chefes de estado e de governo da União Europeia, quanto na cúpula do G7 ocorrida em junho na Inglaterra e na reunião do G20 financeiro em julho, em Veneza, foram significativas as convergências de posições diante das necessidades de ações para a recuperação da economia mundial. O caminho a ser trilhado já foi identificado. Resta agora ousadia, responsabilidade e perseverança para a implementação das mudanças necessárias. Todos ganharão com isso.

* Arnaldo F. Cardoso, cientista político formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) é também escritor e professor universitário

Fonte: Comunità Italiana

A revista Comunità Italiana é a mídia nascida em março de 1994 como ligação entre Itália e Brasil.

Últimas notícias

Projeto Setorial
Apoio
Patrocínio premium
Patrocínio